sexta-feira, 24 de junho de 2016

Trajetória Literária - 2016 (Número 271 - Ano III)





Classificado para o Livro "OCEANOS - Vol. I" do Café com Poesias da SOCIEDADE MUNDIAL DOS POETAS - Organizado por Alexandre Jazara - São Paulo (SP) em 24/6/16 - com o poema: MATALOTAGEM.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Trajetória Literária - 2016 (Número 270 - Ano III)



Classificado para a Antologia de Poesias, Contos e Crônicas "MAIS DO QUE PALVRAS" - da Scortecci Editora - São Paulo (SP) - em 22/6/16 - com os poemas: DESOLAÇÃO e MATALOTAGEM.

Poemas Publicados - 2016 - Antologia "on line" da ANTOLOGIA DE POETAS BRASILEIROS CONTEMPORÂNEOS - Vol. 139 (Número 269 - Ano III)



http://www.camarabrasileira.com.br/apol139-006.html


Poemas Publicados - 2016 - Antologia "on line" da VERSOS D'ALMA - Edição 2016 (número 268 - Ano III)



http://www.camarabrasileira.com.br/vd16-004.html

Trajetória Literária - 2016 - XVII (Número 267 - Ano III)




Re: Curriculo
(Sem assunto)

Sonia Martelo

qua 22:12

MUITO BEM FRANCISCO FERREIRA, CARO CONFRADE, AGUARDE SEU DIPLOMA DE MEMBRO CORRESPONDENTE APLA. ANTES DISSO VOU LHE ENVIAR ALGUNS EXEMPLARES DA ANTOLOGIA DA APLA INTITULADA "RAMALHETES PRINCESINOS". COMO LHE DISSE, SEU COMPROMISSO COM A APLA É DIVULGÁ-LA SEMPRE QUE FOR OPORTUNO, MENCIONANDO-A EM SEU CURRÍCULO. OS MEMBROS CORRESPONDENTES DA APLA SÃO ISENTOS DE QUALQUER TIPO DE MENSALIDADE. 
BOA SORTE
SÔNIA

E-mail de SÔNIA MARIA DITZEL MARTELO presidenta da ACADEMIA PONTAGROSSENSE DE LETRAS E ARTES (APLA) - Ponta Grossa (PR) - dando-me conta de meu ingresso naquele sodalício como membro correspondente.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Trajetória Literária - 2016 - XVI (Número 266 - Ano III)


Recebidos em 22/6/16 - antologias VERSOS PROIBIDOS (em que participo com o poema SINTAXE), ANTOLOGIA DE POETAS BRASILEIROS CONTEMPORÂNEOS VOL. 135 ( em que participo com o poema LIDA), medalha e diploma de MÉRITO LITERÁRIO - da CÂMARA BRASILEIRA DE JOVENS ESCRITORES (CBJE) - Rio de Janeiro (RJ).

terça-feira, 21 de junho de 2016

I Concurso IMPALPÁVEL POEIRA DAS PALAVRAS de Poesia


EDITAL DO I CONCURSO "IMPALPÁVEL POEIRA DAS PALAVRAS" DE POESIA



REGULAMENTO



Participantes:  Qualquer cidadão brasileiro ou estrangeiro (com idade mínima de 12 anos) desde que os poemas inscritos estejam em língua portuguesa.



Período de inscrição: de 22 de junho de 2016 a 22 de agosto de 2016.



As inscrições serão feitas via e-mail, até a data limite (22 de agosto) para:






Categoria: Poemas 1 (um) por concorrente, com máximo de 30 versos. Os participantes poderão enviar seu poema em quaisquer formas: soneto, haicai, trova, poetrix, etc. E deverão estar em documento Word. Vetadas as inscrições através de PDFS ou digitalizações. Tema livre, digitados em fonte Arial ou Times New Roman tamanho 12 e espaço simples. Não há necessidade de ineditismo.



Os textos deverão conter exclusivamente o título da obra e o pseudônimo do autor. Apresentação dos trabalhos por via e-mail deverá seguir o modelo abaixo da ficha de inscrição:



Nome completo:

Data de nascimento completa:

Profissão:

Título do poema:

Pseudônimo:

E-mail:

Endereço completo:



Obs.: Caso o inscrito não preencher devidamente o formulário acima não estará qualificado para o concurso e os trabalhos que não obedecerem às regras deste regulamento serão automaticamente desclassificados.



Julgamento: O corpo de jurados será formado por pessoas altamente qualificadas, que serão conhecidos e apresentados no blog: http://impalpavelpoeiradaspalvras.blogspot.com.br/       

E suas decisões são soberanas e irrecorríveis.



Serão ainda critérios para o julgamento das obras inscritas:



a) Vocabulário.

b) Conotação (uso de figuras de linguagem).

c) Ritmo.

d) Intertextualidade.

e) Criatividade.



Os trabalhos com menções pornográficas, preconceituosas (cor, raças, sexo, religião, etc) serão automaticamente eliminados pelo júri.



A organização decidirá sobre as omissões deste regulamento, depois de ouvida a opinião do júri.



Divulgação dos resultados:



A divulgação dos poemas inscritos com os seus pseudônimos será feita através do blog do concurso.



O resultado final do concurso será no dia 22 de setembro de 2016, divulgado no blog. E caso ocorram atrasos nos resultados as datas serão modificadas e os inscritos saberão através do blog.



Premiação:



  • O primeiro colocado receberá um diploma, três livros e troféu personalizado.



  • O segundo colocado receberá um diploma, dois livros e troféu personalizado.



  • O terceiro receberá um diploma, um livro e troféu personalizado.



Conceição do Mato Dentro, 21 de junho de 2016.


Trajetória Literária - 2016 - XV



Foto do autor

Re: Poema para o blog (Sem assunto)

E DAI BLOG

Hoje 16:05

Você

Prezado Francisco,

Parabéns por ter o seu texto como um dos mais vistos. Publicamos uma imagem parabenizando os autores mais vistos em nossa página do Facebook!!!

Seja sempre bem-vindo com mais e mais textos!!

EQUIPE E DAÍ?



Cópia de e-mail do E Daí? Blog de 21/6/16 - 16h05'

Poemas Publicados - 206 - E Daí? Blog


Poema  A CAMINHO - publicado no E Daí? Blog em 21/6/16.

( http://edai7.blogspot.com.br/2016/06/a-caminho.html )

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Disseram de mim - 2016 - III




Poemetos ou poemas pequenos são ótimos de se ler e ‘pegar’ a reflexão para degustá-la por algum tempo. Muito bom pensar aqui, sobre o amor! Só acho que o título poderia ser: Receitas. hehehe . Abraço.

(Anorkinda Neide) 26/8/15



***

Fórmulas Francisco Ferreira

Mente: É uma estrutura simples. Não impressiona. Um dos fatores principais da poesia é a mensagem final. No entanto, a degustação de cada letra é imprescindível para total deleite da leitura. Mas devemos ressaltar que a analogia contida no texto é maravilhosa. E isso importa, também.

Coração: Não existe uma receita pronta para o amor, não é? Você simplesmente ama. E essa é justamente a beleza do amor. Ela é o que é.

Ω Final: Um poema que aborda um assunto que é profundo, mas banalizado pela nossa sociedade atual. O amor é muito mais do que as pessoas imaginam. O autor escolheu uma forma simples de falar sobre isso, mostrando ser corajoso, mas conseguiu fazer uma analogia interessante e muito inteligente.

Nota: 7.

(Fábio D’Oliveira) 29/8/15


***


Olá, Francisco!

Como bem disse a Anorkinda, seu poemeto é de fácil degustação. Só precisa mudar a embalagem (título) para melhor apreciação. Para fugir do lugar-comum, a analogia salvou seu poema de amor.

(Rogério Germani) – 29/8/15


***


Simples e direto ao ponto, mas “recheado” de camadas interiores, sentimentais, com um pingo de solução para todos os males (não viver apenas de opiniões alheias). Muito bom.

(Brian Oliveira Lancaster) – 5/2/16

(https://entrecontos.com/2015/08/23/formulas-poesia-francisco-ferreira/ )


Críticas ao meu poema FÓRMULAS no sítio ENTRECONTOS LITERATURA

domingo, 19 de junho de 2016

Disseram de mim - 2016 - II




"Olá, Francisco.
Você tem uma técnica muito boa, tão boa que quase ofusca a tristeza que as palavras escondem. Alguns chamam de bloqueio criativo, você “solidificou” a questão em forma de lagarto. É muito complicado o que algumas coisas da vida fazem com a poesia que carregamos dentro de nós, mas tendo a pensar que a semente é forte e as asas dos poetas sempre crescem outra vez.
Parabéns!"

( https://entrecontos.com/2015/06/21/solidos-francisco-ferreira/ )

Comentário de WENDER LEME em meu poema SÓLIDOS  no sítio ENTRECONTOS LITERATURA em 23/8/2015.

Clube Amigos das Letras - Barra Bonita (RJ) - 22/11/2002



"Barra Bonita, 22 de novembro de 2002

Caro Francisco,

Pela amostragem que nos enviou, você mostra sua verve de exímio versejador liberto de convenções, que imprime um acentuado teor filosófico em seus textos. Daqueles mesmo, que faz parecer que transformar figuras de imagem em poesia seja simples e fácil desde a mais tenra idade.
A manutenção  de uma mesma característica , fez da escolha recair sobre "Trama", seguramente pelo fato do poeta ter traçado com indiscutível qualidade, uma analogia entre dados físicos e temporais, poéticos quando outros, não fosse o poeta, teriam este onírico vislumbre.
Pela qualidade exposta, estou certo que tenha considerável volume de boas obras já escritas, donde origina-se o destaque especial "Conjunto da Obra".
Por certo, que a participação de "Trama" na II Seletiva... é uma grata presença, e o autor, mais certo ainda que estará formando fileira como um dos expoentes deste evento.

Saudações Literárias,

(a) Sérgio Grigoletto"


Arcádia Brasílica de Artes e Ciências Estéticas (ABRACE) - Rio de Janeiro (RJ) - 23/9/2004


Ata de posse como Árcade Correspondente  (cadeira 19 - patrono José Basílio da Gama) da ARCÁDIA BRASÍLICA DE ARTES E CIÊNCIAS ESTÉTICAS (ABRACE) - Rio de Janeiro (RJ) - 23/9;2004 e logomarca da ABRACE.

Associação São-Luizense de Autores (ASAS) - São Luiz Gonzaga (RS) - 2003



Documentos alusivos a minha admissão como membro efetivo na ASSOCIAÇÃO SÃO-LUIZENSE DE AUTORES (ASAS)  - São Luiz Gonzaga (RS) em 2003, sob o número 486.

sábado, 18 de junho de 2016

Trajetória Literária - 2016 - XIV




"Caro Acadêmico Francisco Ferreira,

Belos poemas que chegam para enriquecer
esta Antologia, dedicada a memória de Shakespeare.

A Real Academia de Letras reservou para ti a
Cadeira Vitalícia de número 80, aguardando tua
aquiescência para Registro e remessa do Diploma.

Abaixo foto-miniatura de tuas poesias.
Qualquer dúvida escreva.

Abraços acadêmicos,
Mário Scherer"

E-mail recebido hoje, as 17h24'.
 

Poemas Classificados - 2016 - XI



Et Pardal Hominum

Pardal se civiliza
dos restos fáceis abundantes;
catar e comer, chilrear e copular
descendências garantidas
no contato humano,
ave cosmopolita.
Sem alma, urbano, é triste
incanoro, pássaro humanizado,
cio e cicio fartos
de liberdades corrompidas.

Volta a tua mata
alforria-te, faz quilombo
desdenha a convivência e conveniência
insalubres que te escravizam.
Sê bicho - seu destino -.
Bicho solto, desumaniza-te.

Vai ser feliz!

Classificado para a antologia VOZES D'ALMA - Edição 2016 - CÂMARA BRASILEIRA DE JOVENS ESCRITORES (CBJE) - Rio de Janeiro (RJ) - 18/6/16



Poemas Classificados - 2016 - X


Foto do autor.

Desalento


No teu leito de esgoto
fluxo fétido e constante, é raro alterar-se
em tuas margens, fluxos outros
correm céleres, desaceleram... até parar.
Buzinas marginais
rascam imundícies íntimas
acordando fantasmas de peixes
assustando ratos.


Desce lento, Rio Morto
rio esgoto e sem portos
trilha sertão-via-mar.
Em afluentes te purificas
oxigenando-te o vagar.
Vargens, pontes, vagalumes
até as vagas do mar.


Vai-te embora Doce, Manso
Velho Chico, Paraopeba...
Vai-te embora te lavar.

Classificado para a ANTOLOGIA DE POETAS BRASILEIROS CONTEMPORÂNEOS - Volume 139 - CÂMARA BRASILEIRA DE JOVENS ESCRITORES (CBJE) - Rio de Janeiro (RJ) - 18/6/16

Trajetória Literária - 2016 - XIII


Correspondência oficial da UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES (UBT) - MINAS GERAIS - dando conta da criação da DELEGACIA DA UBT de CONCEIÇÃO DO MATO DENTRO e desativação da DELEGACIA DA UBT de BETIM.

Trajetória Literária - 2016 - XII


Classificado para a Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos - Volume 139- Câmara Brasileira de Jovens Escritores (CBJE) - Rio de Janeiro (RJ) - junho/2016 - com o poema: DESALENTO.

Link para o resultado:

http://www.camarabrasileira.com.br/pc139.html

Trajetória Literária - 2016 - XI


Classificado para a Antologia VERSOS D'ALMA - Edição 2016, da Câmara Brasileira de Jovens Escritores (CBJE) - Rio de Janeiro (RJ) - junho/2016. Com o poema: ET PARDAL HOMINUM

Link para o resultado:

http://www.camarabrasileira.com.br/versosdalma2016.html

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Poemas Publicados - 2016 - Textos e Livros Premiados do blog Concursos Literários (3)



Foto do autor.

De Secas e Verdes

Cantador se quiseres cantar;
veja que te não aconselho,
os tempos são difíceis!
Mas se imperativo for,
que cantes aleluias
às alegrias da chuva nova
na poeira velha e o cheiro bom
do bom barro de telha branco.
Ou o ocre dos ceramistas,
o branco das terracotas
e o ocre dos santeiros
nos cheiros molhados dos terreiros.


Não é que te queira ensinar
o ofício – de padre dizer missa –
(longe de mim)
é que os tempos são de seca,
são difíceis.
O mundo está sinistro.
digo isto só para parecer mais jovial.

Mas se quiseres calar
(veja que não te censuro).
se acaso, porém insistires,
que cante a paz.
As harmonias de abelhas e vespas
e formigas em seu fatigar
- operárias em construção –
na produção de alimentos
e no tornar fronteiras mais seguras.
Vidas mais úteis, vidinhas miúdas...
Ah, cantador, se os governos
fossem assim, tão eficientes!
Seríamos formigas maiores
e mais úteis, te garanto!
E nossas vidas, melhores.


Não que me queira queixar
é que a seca destes tempos sombrios
tornou agreste a minha alma
e desertificou o meu espírito.
O nosso destino de veredas
é alimentar rios.

Se calado, quiseres cantar e depois emudecer,
(veja que não te pressiono, nem apresso),
já que, por ti, tenho tanto apreço.
É que nestes tempos secos
de dificuldades, cantar é dorido.
Mas se de todo, quiseres te expressar,
que cantes jardins
belezas de moral em cachos,
canteiros floridos de ética,
floradas de justiça
e leiras e leiras de democracia.

Não é que te queira
dizer o que dizer
é que aqui, ao sul do equador,
são tempos de seca,
qualquer fagulha pode atear incêndios
e tiranias.

Link para a postagem:
http://textospremiados.blogspot.com.br/search/label/Francisco%20Ferreira


terça-feira, 14 de junho de 2016

Poemas Publicados - 2016 - Textos e Livros Premiados do blog Concursos Literários (2)


Foto do autor.

Sofisma

Procuro o verso, perfeito verso,
pois tergiverso em meus anversos
efígie, máscara... Verso e reverso.

Busco a rima, primorosa rima
que não me oprima
a ter sempre de ser obra-prima.

Persigo a cadência, requintada cadência
que com antecedência
dissimule minha decadência.

Rogo pela harmonia, esmerada harmonia
que me resgate da apatia
em que o tédio me enfastia.

Cobiço a medida, justa medida,
que ajuste a sua, à minha vida,
minha derradeira investida.


Link para a postagem:
http://textospremiados.blogspot.com.br/search/label/Francisco%20Ferreira